deusaseborboletas

terça-feira, agosto 14, 2007

DE VOLTA!!!!!!

Pois é caros amigos e amigas.... O blog deusas e borboletas encontra-se novamente activo, depois de um longo periodo sem posts novos.
Pouco tenho para informar neste exacto momento, mas venho com a garantia de um blog completamente novo, com deusas mais informadas e mais experientes!
Um abraço,
Perséfone

quinta-feira, novembro 09, 2006

Revista Segurança e Defesa


Vai ser lançada publicamente a Revista "Segurança e Defesa". O evento vai decorrer hoje, dia 9 de Novembro, pelas 18h30, no Pequeno Auditório da Culturgest, em Lisboa.
A Revista Segurança e Defesa, dirigida pelo Professor Universitário e especialista em terrorismo José Manuel Anes, conta com um Conselho Editorial liderado pelo Presidente do OSCOT – Observatório de Segurança, Crime Organizado e Terrorismo, Mestre Rui Pereira. Dele fazem parte, entre outros, Ângelo Correia, José Lamego, Vitalino Canas, Vasco Franco, Almirante Reis Rodrigues, General Garcia Leandro e General Lemos Pires...e Afrodite.
Apareçam neste lançamento e divulguem esta iniciativa.

segunda-feira, outubro 30, 2006

We might as well be strangers

I don't know your face no more
Or feel your touch that I adore
I don't know your face no more
It's just a place I'm looking for
We might as well be strangers in another town
We might as well be living in a different world
We might as well
We might as well
We might as well
I don't know your thoughts these days
We're strangers in an empty space
I don't understand your heart
It's easier to be apart
We might as well be strangers in another town
We might as well be living in a another time
We might as well
We might as well
We might as well be strangers
Be strangers
For all I know of you now
For all I know of you now
For all I know of you now
For all I know

domingo, outubro 29, 2006

Forget-me-not


Sinceridade. Humildade. União.
Forget-me-not. Não-me-esqueças.

sábado, outubro 21, 2006

Peditório à televisão!!!

Quem não conhece os desenhos animados de anime manga A Sailor Moon??
Aqui fica uma imagem para os mais esquecidos.

Já há muitos anos que deixaram de correr na TVI e eu acho que só passam mesmo na TV Cabo. Ora bem...Quem não tem TV Cabo não os pode ver. São uns desenhos animados tão giros! Deviam passar na televisão nacional. Vamos escrever para o consultor da RTP e pedir que passem!!Ou talvez não...
Talvez tenhamos que ficar com a banda desenhada.
Não faço ideia se todos os que lêem o blog concordam comigo, se conhecem ou não a Sailor Moon e se ainda vêem os desenhos animados na televisão.

quinta-feira, outubro 19, 2006

Quem sou


Não é desde sempre que me conheço como sou hoje, que vivo e penso como hoje. Por muitas mudanças passei, várias tempestades enfrentei, para ser como sou hoje.
Tenho várias almas dentro de mim. Cada uma delas dá alma ao que sou. Uma alma mais criativa, artística, outra mais ciêntífica. Existo por pensar e sentir, por viver euforicamente uma vida rotineira e por vezes chata, fatigante. Vivo a vida dos outros, sentindo os seus problemas, os seus medos, mas as suas alegrias também. Vivo uma vida pensada, racional, talvez por entender que é uma base importante para uma vivência não só comigo mesma, como com os outros que me são alheios. Não defendo a teoria de que somente a razão interessa. Pelo contrário. A vida não tem alegria, dinamismo se não a vivermos com tais características. Sou, a vulgarmente chamada, sentimentalista, emotiva. Sigo os meus sonhos, aventuro-me em proibições, pulo o muro muitas vezes, mesmo depois de já o ter pulado e saber que caí ao tentar atravessá-lo.
Encaro a realidade sem tabus, vivendo, sentindo-a e desejando, ansiosamente, pelo próximo dia. Dia esse em que, provavelmente, morrerei sem saber a que sabe verdadeiramente a vida pensada, mas sabendo a que sabe a vida vivida. E nessa altura poderei dizer o quão bom é viver a vida emotivamente.

domingo, outubro 15, 2006

Dualidade


Yin e Yang. Sol e Lua. Vontade de ficar e vontade de partir. De aprofundar o conhecido e descobrir o que ainda é desconhecido. De manter o que se tem e explorar o que não se tem. Necessidade de serenidade e de loucura. De ser amada mas também ardentemente desejada. De escutar mas simultaneamente ser escutada. De frio e quente. De azul forte mar e castanho terra. De caminhar mas também voar. De simplicidade e complexidade. De nada e de tudo. Opostos. Dualidades numa só pessoa. Contradições que acabam por se complementar, mas que nem sempre é fácil gerir. Contradições, afinal, de uma experiência de vida - da que já se viveu, da que se vive e da que ainda se quer viver.